Breno tem Síndrome de Down, 32 anos, ator, faixa preta em judô desde 2002. Vamos compartilhar essa história que inspira muitos jovens a seguirem o mesmo caminho.

Para o Breno família é tudo, ele é muito grato a mãe pela educação, a mãe sempre teve preocupação em fazer com ele o mesmo que fez com os outros irmãos, que era ensinar os filhos a ter autonomia, liberdade e independência. Pois sabia que precisava ter com o Breno a mesma disciplina, o mesmo método de educação, pois não havia diferença para ela e não queria que ninguém o tratasse como coitadinho, ou tivessem dó, e começou pela educação em casa.

Breno sempre falava para a mãe confiar nele em questão da liberdade, poder sair sozinho, pegar ônibus, sair com os amigos, trabalhar e etc. Isso para ele era a maior prova de conseguir se virar sozinho e não depender das pessoas, que sempre foi o seu maior medo.

Um momento muito marcante onde ele passou a ser muito conhecido foi quando ele foi protagonista do filme ”Colegas”, interpretando o Marcio. Ele contracenou com Ariel Goldenberg (Stallone) e Rita Pook (Aninha), todos com Síndrome de Down, na história contava que eles eram grandes amigos e viviam juntos em um instituto para portadores da Síndrome de Down, ao lado de vários outros colegas. Um belo dia, surge a ideia de sair dali para realizar o sonho individual de cada um e inspirados pelos inúmeros filmes que já tinham assistido na videoteca local, eles roubam o carro do jardineiro (Lima Duarte) e fogem de lá. A imprensa começa a cobrir o caso e a polícia não gostou nem um pouco dessa “brincadeira”. Para resolver o problema, coloca dois policiais trapalhões no encalço dos jovens, que só querem realizar os seus sonhos e estão dispostos a viver essa grande aventura, que vai ser revelar repleta de momentos inesquecíveis.

O filme foi um sucesso, ganhou vários prêmios, e muitas marcas abriram portas, deram oportunidades, dando um espaço para a Inclusão maior na sociedade. Aparecendo em noticias, entrevistas, e curiosidade sobre quem era os atores que fizeram dessa trama um sucesso com muita alegria.

Breno apoia que as pessoas que tem a Síndrome de Down tem que ter autonomia, pedir para andar sozinho, para ir ganhando confiança e independência que para ele essa é a sua maior conquista nos dias de hoje.

Breno trabalha na instituição Movimento Down, ajudando nas causas como auto defensor, representando as pessoas com deficiência visual, intelectual, física e  auditiva.

A grande paixão dele é o esporte, pratica judo desde os 3 anos de idade e nunca mais parou, seu currículo é extenso. Ele já participou das Olimpíadas para Deficientes Intelectuais, que aconteceu na Grécia, e ficou com o 4º lugar, além de ser bicampeão mundial em sua categoria. Em 2006, conquistou o título da edição italiana do Judô Para Todos, em sua categoria, e o terceiro lugar no Absoluto. Em 2007, novo ouro na competição. Em 2011, ficou em quarto lugar no Special Olympics Summer Games. Em 2013, ficou com o bronze na etapa italiana do Judô Para todos.

“Minha história com o judô começa quando eu tinha três anos de idade, por influência do meu irmão mais velho, que já treinava. Segui o exemplo dele, pois sempre tive meu irmão mais velho como grande inspiração”, orgulha-se. Hoje, além das muitas conquistas, pódios, vitórias e medalhas possibilitadas pelo esporte, Breno fez um curso de arbitragem, necessário para alcançar a graduação terceiro dan do judô.

Assim como o Breno o nosso Chico já segue os mesmos passos de independência, procura fazer o máximo de coisas sozinho e tem um vínculo muito forte com a natação, que além de trabalhar o desenvolvimento respiratório trabalha também a coordenação dos movimentos.

Comments are closed.