No dia 28 de Abril, tive o imenso prazer de passar alguns dias com o Chico e suas irmãs. A espontaneidade, carisma e o carinho do Chico, rapidamente conquistou o sorriso e admiração de todos. O Chico e suas irmãs foram muitos participativos e não houve nenhuma limitação cognitiva que os impedissem de interagir de acordo com a idade deles. Visitamos a cachoeira dos Frades (Teresópolis- RJ) e foi um momento muito gostoso! A família não mediu esforços para que todos conseguissem chegar ao local sem nenhum tipo de problema. As crianças no começo tiveram um pouco de receio da água gelada, mas logo foram se aproximando e a família toda curtiu aquele momento mágico juntos.

Sou nutricionista e estava responsável também por toda alimentação do evento. Frutas, sucos naturais e uma alimentação saudável e balanceada estavam disponíveis durante o evento. Além de uma alimentação saudável, Thaissa incluirá oleaginosas (principalmente nozes) na alimentação do Chico.

A ingestão de fibras, por meio de alimentos como frutas, verduras, legumes e sementes, (principalmente laranja, mamão, pera e linhaça) deve ser estimulada pois facilita a evacuação, prejudicada por conta de diversas alteração do trato gastrointestinal e da hipotonia. É recomendado também o consumo de alimentos ricos em zinco e selênio, pois são minerais que têm efeito antioxidante e que reforçam o sistema imunológico. O grupo das oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, pistache, avelã e outras) são ricas em zinco, selênio e também ômega-3, que atua no sistema nervoso melhorando a resposta e cognição.

Devido a hipotonia (diminuição dos tônus musculares) presente na Síndrome de Down, é comum ocorrer obstipação intestinal, dificuldades de sucção, deglutição e mastigação.  Com isso, é comum que as crianças apresentem dificuldade de alimentação e recusam a comer pedaços mais consistentes. É compreensível o receio da mãe em alterar a consistência pastosa para uma alimentação mais branda, com medo de que a criança se engasgue, por exemplo, porém não progredir com a consistência da alimentação acaba prejudicando o desenvolvimento da criança. Algumas dicas para essa fase de transição alimentar, são:

1- Ensinar a criança a mastigar bem o alimento
2- Colocar pequenas porções de comida de cada vez na boca (procure usar talheres pequenos afim de proporcionar quantidades pequenas)
3- Menor volume e maior fracionamento. Comer poucas quantidades com intervalos de 3 – 4 horas
4- Organizar uma dieta equilibrada, não só para criança, mas que todos os membros da família possam aderir, incentivando e servindo de exemplo
5- Evitar desde cedo a oferta de refrigerantes e alimentos ricos em açúcares e outros carboidratos refinados

É maior também a probabilidade de presença de cardiopatias congênitas, alterações endócrinas, obesidade, doença celíaca e outras disfunções do trato gastrointestinal. Essas alterações refletem diretamente no estado nutricional da criança, por esse motivo é importante o acompanhamento nutricional desde os primeiros dias de vida.

Nutricionista Vitória Siqueira
CRN 17100131

Author

Comments are closed.