Neste meu relato quero deixar claro que para cada um a experiência da maternidade é única e mesmo sendo o terceiro filho, cada parto é único.

Com 33 semanas tive um aborrecimento e parei no hospital com a pressão 14/9, para gestante é considerada muito alta, então comecei a ter contrações e tive que ficar de repouso absoluto 1 semana. Como isto? Com mais dois filhos em casa e logo eu que me cuido tanto, sou preocupada com alimentação saudável e exercícios físicos. O mundo desabou e fiquei muito triste, mas tinha que pensar na minha bebê.

Foram idas e vindas ao hospital e um acompanhamento mais de perto da minha obstetra. Mais ultrassonografias com exames cardiológicos do bebê, exames de sangue e urina para descartar eclampse. Foi um mês difícil mas chegamos às 38 semanas e o parto marcado para dia 07/07/2017 às 16:00 correu super bem e Maria Antônia veio ao mundo saudável e completando nossa linda família, mais uma irmã para o Chico. Mas o que não sabia é que após o parto as preocupações com a pressão continuariam. O puerpério (período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação) a mãe deve ficar atenta os picos de pressão. E comigo não foi diferente, em casa 1 semana depois do parto voltei a ter a pressão arterial aumentada. Voltamos aos medicamentos e meu mundo desabou, com três filhos não posso ter nada e pensar em ficar doente. Chico e Maria Clara estranharam a chegada da irmã e foram alguns dias de adaptação e eu tendo que me cuidar, me recuperar da cirurgia, amamentar e pensar em toda a logística de casa. Mas passaram alguns dias e a pressão estabilizou e os três convivem maravilhosamente juntos com muitas risadas gostosas, beijos e abraços… E muita choradeira também rs!

Author

Comments are closed.