Essa é uma pergunta muito frequente que as mães fazem e que não existe uma resposta certa ou errada. Cada mãe tem uma necessidade específica e as vezes preferem deixar o lado profissional em segundo plano para ficarem mais tempo em casa com seus pequenos. Outras precisam retornar ao trabalho e algumas deixam com a babá, ou avó, tia.

Mas vou contar a experiência com meu Chico. A pediatra dele, Dra Patricia Salmona (vejam a entrevista dela no blog), sempre concordou com a minha escolha dele ir para a escola com 2 anos de idade, que seria em Fevereiro do ano de 2016. No meio do verão, época que a temperatura aqui em SP não oscila muito e teria já uma idade razoável em termos de imunidade. Mas engravidei da Maria Clara e antecipei a ida dele para o colégio, com 1 ano e 6 meses. Fiz a escolha por uma escola no bairro e que seguisse a linha pedagógica construtivista, um método onde o aluno é levado a encontrar as repostas através do seu conhecimento e relação com os demais colegas. Fizemos as entrevistas com a Diretoria Pedagógica e Chico começou em setembro de 2105 a frequentar no período da tarde a escola infantil. Foram 3 dias de adaptação, isso mesmo, apenas 3 dias e ele já estava socializado. Cada dia tinha uma reunião com uma profissional diferente na escola, um dia com a professora, outro dia com a nutricionista, outro com a fisioterapeuta escolar e assim seguíamos construindo juntos o melhor local para ele ter suas experiências e crescer em um ambiente acolhedor. Marcamos também uma reunião com cada terapeuta dele, que passaram todos as atividades feitas individualmente nas suas sessões e quais eram os desafios que precisávamos passar neste primeiro ano letivo.

img_6972 img_6974

Gente, passei uns bons três meses olhando para o celular, preocupada com qualquer ligação da escola, mas com um tempo essa paranoia passa. Quero compartilhar que foi a melhor escolha que fizemos, ele ama ir a escola, compartilhar experiências, trabalhar sua independência, auto estima e conquistar seu espaço como um cidadão incluído no meio. Participa de todas as atividades, e claro, as vezes tem uma ajuda das professoras e colegas, para qualquer desafio.

Sou uma mãe presente, que lê a agenda todos os dias, recebe os cardápios e ajusta o que for necessário dentro da dieta diária (vejam matéria no blog), acompanho os relatórios das atividades físicas e sempre estou em contato com as professoras.

Gente e a preocupação com as doenças, é outra coisa que temos que saber administrar, ele ficou pouco doente, claro uma virose ali, uma gripe, mas nada de grave. Sempre forte e sadio seguindo firme no seu crescimento.

img_6975 img_6973

O Ano letivo de 2015 acabou e Chico teve um crescimento intelectual e motor muito bom, não tivemos dúvida, ele seguiria na mesma escola. Ano de 2016 está quase no fim e ele continua seus progressos, com seus colegas de sala e só recebe elogios, beijos e carinhos de todos na escola.

E adivinhem quem já esta na mesma escola, Maria Clara, entrou com 7 meses no berçário, e o irmão no primeiro dia entrou com ela e um sorriso de orelha a orelha.

Compartilho algumas atividades da escola.

  • Chamadinha – Momento que cada aluno da um oi para o colega. Cada um tem sua foto, e em uma roda a tia mostra o retrato e eles fixam no mural geral da sala.
  • Musicalização – Roda de música com instrumentos e cantigas infantis.
  • Hora do Conto – Eles amam, leituras de histórias. Abrem a imaginação das crianças.
  • Parlendas – Versinhos com temáticas infantis. EX: Batatinha quando nasce se esparrama pelo chão.
  • Jogo simbólico – Atividades em ambientes externos da escola, onde o aluno interage com o meio. Ex: bichos na florestas
  • Dia do livro – Cada aluno leva seu livro para compartilhar
  • Dia do brinquedo – Cada aluno leva seu brinquedo para compartilhar.

Essa foi minha experiência e espero ter aberto um pouquinho a mente de vocês e contribuído para a decisão de cada um de vocês que nos acompanham por aqui.

Beijos.

Author

1 Comment